qualidade de vida do estudante trabalhador

Como garantir a qualidade de vida do estudante trabalhador

Grande parte da população brasileira passa por muitas  dificuldades para conquistar o tão almejado diploma universitário. Certamente, o cenário econômico não é convidativo para o aluno que deseja ingressar em uma faculdade particular.

É preciso se organizar para conseguir arcar com os gastos exorbitantes. Assim, o estudante, muitas vezes, é compelido a trabalhar para arcar com seus estudos. Conheça algumas dicas para preservar a qualidade de vida do estudante trabalhador.

Desafios da trajetória universitária

Certamente, se você faz parte da parcela de brasileiros que conseguiram efetivar matrícula em alguma faculdade, tenha consciência que é uma grande conquista. Segundo pesquisas, apenas 11% da população ingressou no ensino superior. Além disso, 6,4% das pessoas ganham mais de cinco salários mínimos. Claro, o diploma universitário garante um salário maior, mas permanecer na faculdade pode ser um desafio ainda maior.

Não é fácil conciliar os estudos com um trabalho de período integral. O estudante trabalhador, frequentemente, se depara com o sono, cansaço e vontade de desistir. Também, percebe-se mais facilmente o desenvolvimento de distúrbios psicossomáticos em universitários que trabalham. Não há tempo para o lazer.

No Brasil, segundo a professora Maria Cláudia Tombolato da Faculdade de Psicologia da PUC-Campinas:

’O universitário tem de arcar com aquela responsabilidade do trabalho muito cedo; não é um bico ou um estágio como no caso americano. Aqui, a empresa desconsidera que ele seja universitário e a universidade desconsidera que ele, seja um trabalhador”

Qualidade de vida do estudante trabalhador

É possível tornar a vida do estudante que trabalha muito mais fácil. Um estudante que não possui nenhum vínculo empregatício, possui mais tempo para estudar e consequentemente conquista melhores notas.
É preciso que a universidade tenha algum programa que incentive a performance acadêmica do estudante trabalhador, buscando soluções para que ele não seja penalizado por sua necessidade. Veja três maneiras de garantir a qualidade de vida do estudante trabalhador:

Aplicação do Estatuto Universitário

No Brasil, no nível de estágio, existem uma série de direitos que devem ser respeitados. Mas, no caso do estudante que possui carteira de trabalho não se aplica. Por exemplo, em Portugal, o Estatuto Universitário prevê uma série de benefícios. São alguns deles: o estudante pode faltar o serviço em dias de prova, garantia de férias trabalhistas coincidentes com férias da faculdade e limite de horas na jornada de trabalho.

Conscientização na Universidade

Não é incomum quando se precisa conciliar estudo e trabalho, que o aluno tenha um certa tendência de chegar alguns minutos atrasados. Em contrapartida, também é comum que precise sair mais cedo da universidade para poder ter seu horário de almoço antes de chegar ao trabalho. Certamente, tolerância por parte dos professores é uma das possibilidades a serem pensadas.
Um calendário acadêmico favorável a todos também pode ser de grande ajuda. Isto é, muitos alunos não podem participar de eventos ou até mesmo aulas complementares, por coincidir com seu horário de trabalho. Sem dúvidas, é um dos problemas que pode vir a afetar o estudante trabalhador a ter uma experiência universitária justa e completa.

Apoio Psicopedagógico Efetivo

As universidades costumam oferecer apoio psicopedagógico aos alunos. O objetivo é buscar soluções para dificuldades no processo de ensino e ajustamentos emocionais. Mas, solicitar este apoio não costuma ser fácil.
Certamente, uma análise é feita e existe uma burocracia extremamente rígida. Neste caso,  é aconselhado que ocorra uma flexibilização do processo, tornando-o acessível para um número maior de estudantes. Assim, é mais uma opção que pode garantir a qualidade de vida do estudante trabalhador.

 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!