Atualmente há uma ampla discussão sobre a relação entre a neurociência e a educação, principalmente sobre como elas podem ser integradas trazendo benefícios para o setor de ensino no Brasil.
Procurando melhorar a performance como professor, muitos profissionais estão buscando uma especialização que trabalhe os aspectos da neurociência. Saiba como ela pode contribuir para o ensino brasileiro e para o seu sucesso profissional.

O que é neurociência?

A neurociência é uma área que estuda as funções, estrutura e desenvolvimento do sistema nervoso dos seres humanos desde a sua formação até o envelhecimento, para que possamos agir de forma satisfatória diante de seu funcionamento e mudanças.
Ela é dividida em 5 campos, como a neurofisiologia, neuroanatomia, neuropsicologia, neurociência comportamental e neurociência cognitiva, onde cada um deles se dedica a analisar uma função do cérebro, como ele se desenvolve ou é afetado diante de lesões ou vivências.
Dentre as áreas de análise, podemos destacar o raciocínio, capacidade de comando do corpo físico e mental, sentimento, tomada de decisões, e a inteligência.

Neurociência e educação: como se relacionam?

A neurociência tem sido essencial para a melhora no processo de aprendizagem, já que ela mostra como o nosso cérebro reage em contato com novas informações.
Assim, ela se torna extremamente útil para que os profissionais da educação consigam definir as melhores estratégias de ensino, para que todo o conhecimento que for passado para os alunos seja fixado para o resto da vida. 

Memorização e repetição

Segundo estudos da neurociência e educação, a repetição de uma informação é essencial para a sua memorização. Mas isso não deve acontecer de forma simples.
É essencial trabalhar uma metodologia em cima da repetição da informação para que ela seja passada com emoção, despertando outros sentidos nos alunos que farão com que um conteúdo seja fixado de forma eficaz.

Recompensa

O cérebro do ser humano é mais motivado quando se tem uma recompensa. Ou seja, os alunos se esforçam mais para focar em uma aula, fazer um exercício ou aprender, se eles sabem que terão alguma recompensa por isso. É muito importante que os professores saibam aplicar esse sistema de motivação e recompensa, mas não apenas como uma troca.
Essa recompensa por ser algo que também contribuirá para o processo educacional, como uma aula mais interativa, ao ar livre, com aparelhos eletrônicos, músicas, entre outros.

Contextualização

A neurociência e a educação também se envolvem na forma como o conteúdo é passado para os alunos. Um dos grandes problemas vistos em sala de aula que dificultam o processo de aprendizagem, é a explicação de um conteúdo sem uma contextualização. De acordo com a neurociência, uma pessoa consegue compreender uma informação de forma satisfatória quando ela é aplicada ao seu contexto.
Por isso, é muito importante que os professores saibam aplicar um conteúdo no contexto de vida dos alunos, com relação à idade, local onde moram, entre outros. Esses são apenas alguns conceitos da neurociência e a educação. É um estudo que traz muitos benefícios não só para os alunos, como também para a carreira dos professores e na melhora do ensino no Brasil.
Por isso, é essencial buscar uma especialização na área, como por exemplo a Neurociência Aplicada à aprendizagem, que vai enriquecer o conhecimento dos professores e incentivá-los a desenvolverem novas técnicas de ensino.